Fadiga Adrenal: mito ou verdade

Você está se sentindo desanimado e estressado? Lutando para  conseguir manter as atividades diárias da vida e suas demandas? Está tendo problemas com o sono? Você  deve ter lido sobre “fadiga adrenal” como uma razão para seus sintomas. Embora alguns websites de medicina alternativa  afirmem que fadiga adrenal é um diagnóstico real, isto não está comprovado pela ciência médica.

Visão geral

• ” Fadiga adrenal” não é uma condição médica real. Não há evidências científicas para suportar a teoria que o estresse mental, emocional, ou físico prolongados esgote as glândulas adrenais e cause uma série de sintomas comuns.

• A insuficiência adrenal é uma doença real e diagnosticada através de testes sanguíneos.

• Não há exame que possa detectar fadiga adrenal.

• Hormônios e vitaminas prescritos para ” tratar” fadiga adrenal podem não ser seguros. Tomá-los sem necessidade, podem fazer suas glândulas adrenais pararem de funcionar e inclusive colocar sua vida em risco.

O que é ” fadiga adrenal”?

O termo fadiga adrenal tem sido usado para explicar um grupo de sintomas que são ditos ocorrerem em pessoas que estão sob estresse físico, emocional ou mental prolongados. Os profissionais que endossam esse diagnóstico dizem que você estará mais susceptível a essa condição se você tem um trabalho estressante; se realiza trabalho noturno; se é um estudante que também trabalha; se é pai ou mãe solteira; ou se é viciado em álcool ou drogas.

Os sintomas atribuídos à fadiga adrenal incluem cansaço, dificuldade em adormecer à noite ou em acordar pela manhã, compulsão por sal ou açúcar, e necessidade em fazer uso de estimulantes como cafeína para suportar  as atividades durante o dia. Estes sintomas são comuns e  inespecíficos, ou seja, podem ser encontrados em inúmeras doenças. Eles inclusive podem ocorrer como parte de uma vida normal e muito atarefada.

Nenhuma prova científica existe para aceitar fadiga adrenal como uma condição médica verdadeira. Uma vez é dito a você que possui esta condição, a causa real de seus sintomas pode não ser investigada e tratada corretamente.

Qual é a teoria por trás da fadiga adrenal?

Defensores do diagnóstico de fadiga adrenal acreditam que o problema inicia quando diferentes estresses da vida ultrapassam a capacidade do organismo em lidar com essa situação. Nossas glândulas adrenais – pequenos órgãos localizados acima dos rins – geralmente lidam com o estresse produzindo hormônios como cortisol. De acordo com a teoria de fadiga adrenal, quando as pessoas são submetidas a períodos prolongados de estresse, suas glândulas adrenais não conseguem manter a produção ideal desses hormônios para atender as necessidades do organismo. Quando isto ocorre, sintomas de ” fadiga adrenal” pode aparecer.

Qual é a diferença entre fadiga adrenal e insuficiência adrenal?

Enquanto o diagnóstico de fadiga adrenal não é aceito pela maioria dos médicos, a insuficiência adrenal é uma condição médica real que ocorre quando nossas glândulas adrenais não são capazes de produzir hormônios de maneira suficiente. Insuficiência adrenal é causada por lesão das glândulas adrenais ou um problema na hipófise  – uma pequena glândula no cérebro que sinaliza para as adrenais produzirem cortisol.

Uma pessoa com insuficiência adrenal pode ficar desidratada, confusa, e perder muito peso. Pode sentir fraqueza, cansaço, ou tontura, e queda de pressão arterial. Outros sintomas incluem dor no estômago, enjôo, vômitos e diarreia.

Insuficiência adrenal é diagnosticada pelo exame de sangue, e pode ser tratada com medicamentos que repõem os hormônios que as adrenais normalmente produzem.

Como é ” diagnosticado” fadiga adrenal?

Não há teste que possa detectar fadiga adrenal. Muitas vezes, é dito para o paciente que ele possui fadiga adrenal com base apenas nos sintomas. Algumas vezes, um teste sanguíneo ou salivar pode ser solicitado, mas testes para fadiga adrenal não são baseados em evidências científicas ou suportadas por estudos científicos de qualidade, portanto os resultados e análises dos testes podem não estar corretos.

Os tratamentos para fadiga adrenal são benéficos ou prejudiciais?

Os médicos que defendem o diagnóstico  de fadiga adrenal podem orientá-lo a melhorar seu estilo de vida, no sentido de cessar o tabagismo, álcool, e drogas. Iniciar  um programa de exercícios, alimentando-se de maneira saudável, e seguindo uma rotina diária de sono e despertar, irá quase sempre fazê-lo se sentir bem, não importa qual o diagnóstico.

Você pode ser orientado a adquirir suplementos especiais ou vitaminas, normalmente manipulados. Estes suplementos podem eventualmente prejudicar ainda mais a sua saúde, se houver equívoco na dose de algum ingrediente manipulado.

Se é prescrito cortisol para você, quando você não precisa dele, suas adrenais podem parar de funcionar e ficarem incapazes de produzir o cortisol de maneira suficiente quando você for submetido a um estresse físico. Quando você parar de ingerir o cortisol, após uso prolongado,  as adrenais podem ficar “adormecidas” por meses. Pessoas nesta situação correm o sério risco de desenvolver uma condição ameaçadora da vida chamada crise adrenal.

O que você deveria fazer ao receber o diagnóstico de fadiga adrenal?

Pedimos que você não gaste seu precioso tempo aceitando um diagnóstico duvidoso de ” fadiga adrenal” se você está com sintomas de cansaço, sentindo-se fraco ou deprimido. Neste caso, você pode ter um diagnóstico de  insuficiência adrenal, depressão, apnéia obstrutiva do sono, ou outros problemas clínicos. Receber o diagnóstico correto é muito importante para ajudá-lo a se sentir bem e resolver seu problema de saúde.

O endocrinologista é o profissional especialista e mais capacitado para realizar ou excluir  um diagnóstico de deficiência hormonal. Também está capacitado para investigar todas as hipóteses diagnósticas, no caso de a pessoa apresentar os sintomas supracitados.

Fonte: Hormone Health Network. Endocrine Society.

 

 

 

Especialista em Endocrinologia e Metabologia
Conselheiro do Conselho Regional de Medicina
Presidente da Câmara Técnica de Endocrinologia do CRM
Membro da Câmara Técnica de Registro de Especialistas do CRM
Médico Concursado da Secretaria de Estado de Saúde atuando na função de Regulador e Teleconsultor

About Dr. Paulo Freitas

Especialista em Endocrinologia e Metabologia Conselheiro do Conselho Regional de Medicina Presidente da Câmara Técnica de Endocrinologia do CRM Membro da Câmara Técnica de Registro de Especialistas do CRM Médico Concursado da Secretaria de Estado de Saúde atuando na função de Regulador e Teleconsultor

Post Relacionados

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *