cansaço

Cansado de estar cansado? Não aceite a fadiga como parte do envelhecimento

Cansaço, fraqueza, perda de energia. Existem várias maneiras de descrever aquelas vezes que você está tão exausto que não consegue fazer nada. Quase sempre você se recupera com uma boa noite de sono, mas se você estiver realmente com fadiga, isto pode ser um sinal de algum problema de base.

Qualquer um pode se sentir cansado algumas vezes e a energia do indivíduo pode diminuir com a idade, mas você não deve se sentir tão cansado a ponto de não ter um estilo de vida ativo.

A fadiga pode se manifestar de várias maneiras: reduzindo energia para praticar exercícios, diminuindo a concentração, a memória e o estado de alerta, causando mais irritabilidade e isolamento.

 10 causas principais de fadiga

1) Hipotireoidismo

Causa comum de cansaço e astenia. Costuma estar associados a outros sinais e sintomas, como pele seca, constipação intestinal, intolerância ao frio, dores nas articulações, elevação dos níveis de colesterol sanguíneo, perda de cabelo e retenção de líquidos..

2) Insuficiência Cardíaca

Causa cansaço inicialmente aos esforços, e progredindo para atividades banais, como pentear o cabelo e escovar os dentes. Causa retenção de líquidos, podendo provocar inchaço nas pernas e falta de ar, principalmente quando o paciente se deita.

3) Anemia

Causa frequente de cansaço. Em grau avançado, cursa com palidez da pele e aceleramento dos batimentos cardíacos em repouso.

4) Insuficiência Renal Crônica

Pode causar cansaço por vários motivos. Os mais importantes são anemia, acúmulo de toxinas no organismo, acidez do sangue e desnutrição.

5) Diabetes Mellitus

O diabetes não tratado cursa habitualmente com cansaço, perda de peso, excesso de urina e sede permanente.

Para saber mais sobre Diabetes Mellitus clique em ” Diabetes Mellitus tipo 2: Como eu trato

6) Doenças Pulmonares

As doenças dos pulmões, principalmente a bronquite crônica, o enfisema e a asma, são causas comuns de cansaço.

7) Síndrome da Fadiga Crônica

A fadiga crônica é uma síndrome ainda pouco conhecida que costuma causar cansaço crônico sem causa aparente.

O paciente com síndrome da fadiga crônica não apresenta nenhuma alteração ao exame físico nem aos exames complementares. Ele queixa-se de dores, mas nenhuma lesão é encontrada, queixa-se de febre, mas o termômetro nunca a mostra, refere fraqueza muscular, mas os exames dos músculos são todos normais.

Depressão, fibromialgia e infecções virais, como a mononucleose infecciosa, costumam ser gatilhos para o início desta síndrome.

8) Medicamentos

O uso prolongado de medicamentos pode ser a causa de um cansaço crônico. Relaxantes musculares, antidepressivos, anti-histamínicos, beta-bloqueadores e analgésicos opióides são causas comuns. Excesso de cafeína também pode levar ao cansaço, assim como o consumo excessivo de álcool.

9)Distúrbios do Sono

Qualquer distúrbio do sono que atrapalhe uma boa noite de sono pode ser o motivo de um cansaço crônico. Neste caso, o cansaço vem acompanhado de sonolência durante o dia. A apneia obstrutiva do sono é uma causa comum de cansaço e sonolência, principalmente em pessoas obesas.

10) Depressão

A depressão, também chamada de transtorno depressivo maior, é uma doença psiquiátrica crônica, muito comum e caracterizada por uma alteração do humor do paciente, que deixa-o triste além do normal, desanimado, sem energia, com baixa autoestima e com dificuldade de lidar com sua vida pessoal e profissional.

Sinais de alerta para o diagnóstico de fadiga:

  • Acordar exausto mesmo após uma boa noite de sono
  • Falta de motivação durante o dia
  • Inabilidade para atividades prazerosas
  • Crises súbitas de exaustão
  • Encurtamento da respiração

Como melhorar o nível de energia:

1) Tomar um copo de café ou chá – um pouco de cafeína pode melhorar o dia, mas você não precisa mais do que isso para elevar a energia mental, principalmente pela manhã.

2) Caminhar por 30 minutos ao dia contínuos ou dividido em dois períodos de 15 minutos.

3) Tirar um cochilo de 20 minutos principalmente no meio do dia para evitar o cansaço posterior.

4) Interromper o uso do álcool por algumas semanas.

O endocrinologista poderá lhe ajudar a identificar a causa e os possíveis tratamentos, contribuindo para uma melhor qualidade de vida.

Doutora em Endocrinologia – USP/SP
Residência Médica em Endocrinologia – Hospital Brigadeiro/SP

Post Relacionados

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *