PRE-DIABETES

Pré-Diabetes: o que você precisa saber

O que é pré-diabetes?

Pré Diabetes ocorre quando os níveis de glicose no sangue são maiores do que a média normal, mas não são altos suficientes para serem considerados como diabetes.

A insulina, produzida pelo pâncreas, é responsável por transportar a glicose do sangue para as células, para que lá possa gerar energia.

Quando a insulina está funcionando bem, a glicose está em níveis saudáveis – levando energia necessária para as células.

No entanto, algumas vezes o processo de produção ou funcionamento da insulina encontra-se prejudicado. Quando isso acontece, a glicose não é metabolizada adequadamente e os seus níveis aumentam no sangue. Se não houver tratamento, a glicose pode aumentar até que ocorra o diagnóstico de Diabetes.

O pré-diabetes é  preocupante?

Muitos acreditam que o pré-diabetes seja uma condição benigna, com pouca repercussão na saúde futura. Porém, esse conceito está bastante equivocado, uma vez que o pré-diabetes aumenta significativamente o risco de surgimento de complicações de longo prazo, de forma muito semelhante à condição de diabetes plenamente instalado. Sabe-se que o controle da regulação normal da glicose em pessoas com pré-diabetes reduz significativamente o risco de evolução para o diabetes. Se nada for feito, cerca de 1/3 dos pacientes com pré-diabetes irá progredir para diabetes dentro do prazo de 3 a 5 anos.

Se levarmos em conta apenas os indivíduos com múltiplos fatores de risco, a taxa de progressão é ainda mais alta.

Quais são os fatores de risco para o pré-diabetes?

Como o pré-diabetes é basicamente uma estágio antes do surgimento do diabetes mellitus, o seus fatores de risco acabam sendo praticamente os mesmos. Os mais importantes são:

  • Sobrepeso (IMC maior que 25 kg/m²). Quanto maior for o IMC, mais elevado é o risco ( IMC – Como calcular o índice de massa corporal).
  • Acúmulo  de gordura na região abdominal (cintura maior que 94cm nos homens ou maior que 80cm nas mulheres).
  • Sedentarismo.
  • Idade acima de 45 anos.
  • História familiar de diabetes tipo 2.
  • História pessoal de diabetes gestacional.
  • Síndrome do ovário policístico.
  • Hipertensão arterial
  • Colesterol elevado
  • Tabagismo
  • Apneia obstrutiva do sono.

Quais São os sintomas de pré-diabetes?

Infelizmente, não existem sintomas de pré-diabetes. A única maneira de saber se você tem a doença é através dos exames de sangue, que serão solicitados pelo médico assistente diante dos fatores de risco. Existem três tipos de exames:

O mais comum é a dosagem da glicose após oito horas de jejum. Uma glicemia entre 100 e 125 mg/dL fará o diagnóstico.

A dosagem da glicemia duas horas após a ingestão de 75 gramas de glicose oral, é o teste conhecido como Teste de Tolerância Oral a Glicose (TTOG) que será positivo com glicemia entre 140 e 199 mg/dL.

Por fim, o médico poderá solicitar a hemoglobina glicada, que representa a média dos níveis de glicemia dos últimos três meses. O valor entre 5,7 e 6,4 % fará diagnóstico de pré-diabetes.

Se você tem uma glicemia acima dos valores da normalidade ou fatores de risco para o desenvolvimento do pré-diabetes, consulte um endocrinologista.

O endocrinologista poderá lhe orientar no tratamento mais apropriado visando a normalização da glicemia e reduzir o risco de complicações cardiovasculares futuras.

Doutora em Endocrinologia – USP/SP
Residência Médica em Endocrinologia – Hospital Brigadeiro/SP

Post Relacionados

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *