Posts

Pâncreas artificial aprovado pelo FDA

O FDA acabou de aprovar o primeiro pâncreas artificial, que consiste de uma bomba de insulina de alça fechada híbrida, a qual automaticamente  monitora a glicose no sangue e administra a dose de insulina necessária. Está aprovada para pacientes a partir de 14 anos de idade com diabetes mellitus tipo 1.

Devido ao fato que o dispositivo corrige tanto as glicemias baixas, quanto as elevadas ( os atuais corrigem apenas a hipoglicemia), está sendo chamada de primeiro pâncreas artificial. Entretanto, como os pacientes ainda precisam colocar a quantidade de   carbohidratos ingeridos antes das refeições e requisitar ao dispositivo para fornecer a dose de insulina bolus ( da refeição), na verdade é um sistema híbrido ao invés de um completo sistema de alça fechada.

O sistema compreende um monitor continuo de glicose ligado ao tecido subcutâneo, o qual  verifica os níveis de glicose a cada 05 minutos. Uma bomba de insulina  lê a glicose e libera a insulina de acordo com os valores. Antes das refeições, o paciente digita a quantidade aproximada de carbohidratos que ingeriu e o sistema calcula a dose de insulina a ser liberada.

No estudo realizado com o dispositivo, não ocorreram eventos adversos sérios, tais como cetoacidose diabética e  hipoglicemia severa.

A fabricante  (Medtronic) está atualmente realizando estudos clínicos para avaliar a segurança e efetividade do dispositivo em crianças entre 7 a 13 anos de idade com diabetes tipo 1.

Este é um grande avanço na direção da cura do diabetes tipo 1. A expectativa é que este dispositivo deverá facilitar bastante o controle da doença, contribuindo para que o paciente atinja as metas de glicemia e hemoglobina glicada ( inferior a 7%), e diminuindo consideravelmente o risco de complicações crônicas.

O dispositivo chama-se sistema MiniMed 670G , e com este lançamento, estamos a um passo do sistema de alça fechada completo, que libera automaticamente a insulina de acordo com a glicemia, tanto no basal ( longe das refeições), quanto nas refeições.

A previsão é que estará no mercado americano no início de 2017. Não há previsão para sua chegada ao Brasil, nem o custo.

Doutora em Endocrinologia – USP/SP
Residência Médica em Endocrinologia – Hospital Brigadeiro/SP